A geada é um fenômeno que ocorre em boa parte do mundo, no Brasil é frequente em algumas regiões dos estados de Minas Gerais (região sul), São Paulo, Mato

Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os danos causados nas culturas agrícolas variam de acordo com a espécie, com a fase fenológica no momento da ocorrência e com a intensidade do fenômeno. Em geral, as culturas de climas tropicais e subtropicais são as mais suscetíveis, como o café e a laranja, que têm pouca resistência à baixas temperaturas.

As regiões mais suscetíveis à geada são regiões de baixadas ou terrenos planos, pois o ar frio é mais denso e portanto escoa para as áreas de baixadas ou fica estagnado em regiões planas.

Do ponto de vista meteorológico a geada ocorre quando a temperatura atinge 0ºC sobre as superfícies expostas. Após atingir essa temperatura ou menos, o vapor d’água do ar em contato com a superfície fria passa diretamente para o estado sólido, se depositando sobre as superfícies e conferindo um aspecto esbranquiçado sobre a paisagem. Para a agricultura, o conceito de geada está relacionado com danos.

Como o congelamento pode ocorrer nos tecidos vegetais (como folhas, ramos, frutos, caule), nem sempre há a formação de gelo sobre os tecidos, isto é, a formação de gelo visível. Devido a isso temos diferentes tipos de geadas.

Geada branca e Geada negra

Estes tipos de geada são denominados em função da aparência. A geada branca é a típica geada de radiação, com deposição de gelo sobre as plantas, o que confere uma coloração branca sobre a vegetação. Muitas vezes a geada branca não provoca danos para culturas mais tolerantes, pois embora a água congele a 0ºC, a temperatura letal pode estar bem abaixo deste valor.

A geada negra típica ocorre quando o ar está muito seco, em função dessa baixa umidade no ar não há deposição de gelo. Nestas condições a umidade presente na planta congela, sendo muito mais prejudicial às plantas, sendo comum a morte da planta.

Pode ocorrer geada sem minha estação medir temperaturas negativas?

Para ocorrer a geada não é necessário que a temperatura no ar medida na estação meteorológica esteja igual ou menor que 0°C. Isto ocorre porque a temperatura medida na estação meteorológica fica a 1,5 m de altura, sendo medida a temperatura do ar. Já a temperatura medida na superfície é chamada de temperatura de relva. Devido a perda radiativa da superfície, a temperatura de relva é menor que a temperatura do ar durante o período noturno.

Segundo o INMET podem ocorrer geadas com temperaturas mínimas do ar registradas na estação meteorológica de até 8°C. Portanto, pode ocorrer uma diferença de até 8°C entre a temperatura do ar e a temperatura de relva.

Efeito da geada de canela

Devido a essa diferença entre a temperatura de relva e a temperatura do ar, pode ocorrer o fenômeno chamado de geada de canela. Em noites estáveis, com o resfriamento intenso devido à perda de calor para o espaço, o ar frio, por ser mais denso, acumula-se próximo à superfície, formando um gradiente, denominado de inversão térmica, por ser justamente a condição contrária do que ocorre durante o dia. Assim, a temperatura de relva pode atingir valores negativos, enquanto próximo à copa dos cafeeiros os valores podem ser 3 a 8ºC mais elevados. Quando a temperatura junto ao tronco cai abaixo de -2ºC ocorrem danos aos tecidos externos que podem levar a planta à morte. Este dano é denominado de geada de canela, pois apenas a parte inferior da planta (“canela da planta”) é afetada pela geada.

Outro mecanismo que favorece a geada de canela é provocada pela ação da brisa catabática, que sopra morro abaixo em noites de intenso resfriamento da superfície, promovendo o congelamento da seiva nos vasos condutores do caule das plantas, próximo ao solo (“canela da planta”).

Encontrou sua resposta?